Novos barzinhos no Rio

Sempre cheio de novidades, o Rio de Janeiro acaba de ganhar dois novos bares, que vêm se somar à infinidade de opções noturnas da cidade.

O primeiro deles é o DoiZ, que acaba de inaugurar no Humaitá. Do mesmo dono do já conhecido Meza Bar, que fica inclusive na mesma quadra, tem o mesmo conceito, mas com ambiente mais escuro, luzes de neon e música eletrônica. São dois lounges, um bar e um mezanino com mesinhas e os frequentadores são algo assim como RJ-meets-Berlin, meio alternativo, mas muito bacana.

O cardápio é muito bom, com petiscos diferentes e carta de drinques bem variada. Para comer, eu recomendo os canapés de bife a cavalo e o kebab de lombo de porco, ambos deliciosos, mas várias outras opções também pareciam ótimas: fish n’chips, wonton de rabada com molho de agrião, marmita de bolinhas de quejo curado, entre outros. Entre os drinks, cosmopolitan, apple martini e caipirinhas são os destaques.

Um dos melhores petiscos que provei ultimamente

A ourta novidade é o Q Gastrobar, do mesmo grupo do restaurante Quadrucci. Fica na Dias Ferreira, aquela rua ótima do Leblon que conta com vários outros lugares legais (como Venga, CT Boucherie, Sawasdee, Yalla, Carlota, etc.), e tem decoração moderna e elegante, com várias luminárias no teto, constrastando com travas de madeira e um sofá assinado por Zanini de Zanine. Além da releitura sofisticada de petiscos de boteco, como ovo de codorna colorida servido com maionese trufada, o bar serve tartares, mini porções em panelinhas Le Creuset, coxinhas de pato e dadinhos de tapioca (seriam inspirados na criação do chef Rodrigo Oliveira, do restaurante Mocotó de SP?), entre outras delícias. Os drinques também seguem a linha de coquetelaria chique, com novas versões feitas pela bartender Lara Jennings com bebidas premium e destaque para o Aperol, drinque da moda na Europa.

DoiZ
Rua Capitão Salomão, 55
Humaitá
(21) 2179-6620
 
Q gastrobar
Rua Dias Ferreira, 617
Leblon
 (21) 2113-0564/2113-0594
Anúncios

O novo restaurante do Claude Troisgros

Ontem no final da tarde, descobri, por acaso, que a TAM havia cancelado nosso voo de Curitiba para o Rio, que era de tarde e tinha nos ‘realocado’ em outro voo, às 11 da manhã. Só faltou me avisarem disso. Depois que minha raiva da companhia aérea passou, achamos que até seria uma boa idéia ficarmos quase doze horas no Rio, já que poderíamos almoçar e curtir um pouco da cidade.

Como o Guilherme é super fã do Claude Troigros, resolvemos almoçar na CT Boucherie, o novo restaurante dele, no Leblon, especializado em carnes. Meus pais já haviam estado lá há um mês e adoraram, o que aconteceu também conosco.

O restaurante fica na Dias Ferreira, uma rua cheia de restaurantes e bares  e tem algumas mesinhas na calçada, dentro de uma varanda e algumas dentro do restaurante, em um ambiente super descontraído, com desenhos de cortes de carne nas paredes, mesas de madeira e parede de azulejos.

Quanto ao cardápio, você escolhe uma carne e os acompanhamentos são incluídos no preço, sendo servidos em sistema de rodízio. Eu pedi um escalopinho de mignon e o Guilherme a especialidade da casa, que é o galeto e ambos estavam excelentes. Os acompanhamentos então, estavam excelentes. Tinha farofa com alho, batatas fritas, polenta com agriáo, tomate assado, purê de mandioquinha (ou batata baroa, como eles dizem aqui), purê de maça com maracujá, chuchu gratinado, arroz maluco, risoto de quinoa, lentilhas, enfim… tudo o que você puder imaginar, servido muito saboroso e temperado. Para acompanhar, uma cerveja Terezópolis, porque ninguém é de ferro…

Ah… o restaurante ainda tem algumas opçòes de saladas, aperitivos (provamos o pastel de mignon com palmito, que estava ótimo, mas também tem presunto espanhol, carpaccio de shitake trufado, queijo reblochon fondue, etc.) e sobremesas que parecem deliciosas, mas não podíamos comer mais nada depois de tanta coisa boa.

A entrada do restaurante

 

* Vai lá: a CT  Boucherie fica na rua Dias Ferreira, 636, Leblon, Rio de Janeiro. Fone: 21- 2529-2329

A praia mais linda do Rio

Quando me perguntam qual minha praia preferida no Rio de Janeiro e eu respondo que é a Joatinga, ninguém me entende, afinal, muito pouca gente conhece esta pequena praia, entre São Conrado e a Barra.

Para chegar lá, tem que ir de carro pela Estrada do Joá e entrar em um condomínio residencial, que é o único acesso à praia. Achar lugar para estacionar é difícil e o caminho para descer pelas pedras é íngreme, mas vale a pena. Lá embaixo está um pequeno paraíso, rodeado por vegetação e por casas no morro, que fazem do visual ainda mais especial.

A praia não tem estrutura turística, então nem sempre há cadeiras para alugar e vendedores ambulantes, mas quem precisa de biscoito Globo diante de tanta beleza?

 

Have a break, have a Kit Kat

Quem nunca voltou de uma viagem com um daqueles pacotes enorme de Kit Kat comprados no Free Shop e ficou ‘economizando’ para não acabar, já que não tem para vender no Brasil?

Comilão fã de Kit Kat como eu e a sister, seus problemas acabaram! O chocolate da Nestlé mais vendido no mundo vai voltar a ser comercializado no país. Depois de passar por vendas ruins por aqui no começo da década de 90, ele parou de ser vendido, mas acho que de tanto a gente rezar, ele voltou. Acho que vou aproveitar e will have a break, will have a kit kat para comemorar…. hehehe

* fonte desta ótima notícia: blog Da Feira ao Baile (adoro!)

Dores da Colômbia

Una Madre

Eu sou uma apaixonada pela arte do colombiano Fernando Botero. As famosas obras das gordinhas são conhecidas no mundo todo, principalmente a paródia feita pelo artista de telas famosas como a Mona Lisa, retratada por ele com alguns quilinhos a mais.

Mas Botero não tem apenas obras satíricas. Na mostra que acaba de chegar a Curitiba, chamada ‘Dores da Colômbia’ , composta de 6 aquarelas, 36 desenhos e 25 pinturas, o artista retrata o sofrimento do povo colombiano nos últimos anos, trazendo imagens trágicas da ação dos grupos guerrilheiros e paramilitares no país, que originaram a morte de mas de 1,5 milhão de colombianos.

A série de obras foi doada pelo artista para o Museu Nacional da Colômbia, sob o argumento de Botero de que não iria fazer dinheiro com o sofrimento de seu amado país.  Atualmente, a mostra percorre algumas cidades brasileiras e irá para o exterior.  Em Curitiba, ela fica até o final de agosto, no Museu Oscar Niemeyer, que abre de de terça a somingo, das 10 às 18, com entrada de apenas 4 reais.

Em tempo: em recente visita ao museu dedicado ao artista em Bogotá, meus pais aprenderam duas coisas bem interessantes sobre a obra dele. Já repararam que o rosto das personagens femininas é sempre o mesmo? Pois é, este é o rosto da mãe de Botero, que ele usa em todas as mulheres de suas obras. O outro dado é muito mais triste, mas é importante para entender o artista: há muitos anos, ele perdeu um filho pequeno em um trágico acidente (em uma viagem o garoto pôs a cabeça para fora do carro e foi ‘decapitado’ por uma árvore à beira da estrada), algo que nunca superou. Em homenagem ao menino, faz uma referência à sua morte em todas as suas telas. Repare que sempre há uma gaveta aberta, uma fruta cortada ou algo fúnebre, lembrando a grande perda pela qual ele passou.

Cidade maravilhosa

Quem não gosta do Rio de Janeiro? Acho que só quem não conhece seus encantos e se engana com os tiroteios dos noticiários, achando que eles estão por tudo…

Minha família é apaixonada pelo Rio e vou para lá desde pequena. Fico sempre na zona sul, meu lugar preferido e quando chego do aeroporto, já ponho um vestido, uma rasteirinha e desço para um chopp gelado no Belmonte, Devassa, Informal ou outro das dezenas de bares que estão na quadra do meu apartamento… é uma delícia! Já ‘converti’ muitos amigos a amarem a cidade maravilhosa como eu amo!

Um dos meus lugares preferidos lá é o APRAZÍVEL um restaurante no alto de Santa Tereza, o bairro que ficou na moda depois da visita da Amy Winehouse ao hotel mais famoso (e bacana) da região. O restaurante fica na antiga casa de uma família e tem vários ambientes, todos muito aconchegantes, com mesas de madeira e decoração super agradável. As mesas que são no topo de árvores são as mais legais, na minha opinião! Você sobre por uma escadinha redonda e chama o garçom com um sininho… uma delícia!

O cardápio tem peixes, carnes e muita comida brasileira, para todos os gostos. O serviço é muito bom e a vista de toda a cidade… simplesmente não tem preço! Vá no horário de almoço ou no final da tarde, peça um peixe do Maranhão, um baldinho de cervejas geladas e depois me conta o que achou…

fotos: tourvirtualbrasil e caroladuarte

Delícias francesas em São Paulo

No último final de semana, eu e marido fomos para São Paulo, para visitar um casal de amigos e para ver a exposião da Grace Kelly, na FAAP. A mostra é simplesmente maravilhosa e traz objetos pessoas da princesa desde seu nascimento até sua morte, contando com fotos de toda a sua vida, cartas trocadas com Hitchocock, que era um grande amigo seu, vestidos, seu oscar e até uma réplica de seu inesquecível vestido de noiva. Eu me surpreendi com a organização e beleza das peças!

À noite, fomos jantar num bistrô francês por sugestão minha (que exibida, né? vou para a cidade alheia e ainda dou palpite!), pois havia lido uma resenha no blog www.dafeiraaobaile.com e tinha adorado a idéia. Comemos todos os clássicos franceses que tínhamos direito: foie gras, camembert empanado, moule frites, steak tartare e pato. Para arrematar, graufres au chocolat! O atendimento foi super atencioso, o ambiente é uma graça, a comida estava ótima e o melhor: a conta foi bem razoável, o que foi uma ótima surpresa. Por todas estas razões, o restaurante vive cheio, mas vale a pena esperar tomando um vinho no bar!

Rua dos Pinheiros, 254
Sao Paulo, 05422-012, Brazil
(0xx)11 2359-8141

As deliciosas moules frites…

* foto gentilmente surrupiada do site www.planetarestaurante.com.br