Está chegando a Restaurant Week

A quarta edição do evento acontece de 10 a 23 de outubro em Curitiba e desta vez, vai contar com 56 restaurantes inscritos. O valor continua o mesmo: 29 reais para o almoço e 39 reais para o jantar, com direito a entrada, prato principal e sobremesa do cardápio especial do festival + 1 real para doação.  O preço não inclui serviço, bebidas e couvert.

Entre as novidades estão os recém-inaugurados Ayza Sabores de Origem e Arragui Bistrô e o maravilhoso Dop Cucina que, na minha opinião, é um dos melhores restaurantes de Curitiba. Também estão inscritos o C La Vie, o Challet Suisse, Duo, Forneria Belluna, Tratoria Lugana, Oli, Vin e Zea Mais, além de várias outras opções, para todos os gostos. Para almoço, o ravióli de sálvia servido com ragout de carne do Sel et Sucre é, sem dúvida, uma das melhores opções para curtir o festival.

Todas as informações de cardápio, restaurantes participantes e endereços estão no site www.restaurantweek.com.br. Não deixe de reservar antes de ir!

Ah, e se você for cliente Mastercard Platinum, a semana anterior é exclusiva para quem tem este cartão, começando já no dia 3.  Assim, você tem alguns dias a mais para aprovitar mais restaurantes! Mas a reserva tem que ser feita pelo serviço de concierge deles, no 0800 725 2025.

Anúncios

Dores da Colômbia

Una Madre

Eu sou uma apaixonada pela arte do colombiano Fernando Botero. As famosas obras das gordinhas são conhecidas no mundo todo, principalmente a paródia feita pelo artista de telas famosas como a Mona Lisa, retratada por ele com alguns quilinhos a mais.

Mas Botero não tem apenas obras satíricas. Na mostra que acaba de chegar a Curitiba, chamada ‘Dores da Colômbia’ , composta de 6 aquarelas, 36 desenhos e 25 pinturas, o artista retrata o sofrimento do povo colombiano nos últimos anos, trazendo imagens trágicas da ação dos grupos guerrilheiros e paramilitares no país, que originaram a morte de mas de 1,5 milhão de colombianos.

A série de obras foi doada pelo artista para o Museu Nacional da Colômbia, sob o argumento de Botero de que não iria fazer dinheiro com o sofrimento de seu amado país.  Atualmente, a mostra percorre algumas cidades brasileiras e irá para o exterior.  Em Curitiba, ela fica até o final de agosto, no Museu Oscar Niemeyer, que abre de de terça a somingo, das 10 às 18, com entrada de apenas 4 reais.

Em tempo: em recente visita ao museu dedicado ao artista em Bogotá, meus pais aprenderam duas coisas bem interessantes sobre a obra dele. Já repararam que o rosto das personagens femininas é sempre o mesmo? Pois é, este é o rosto da mãe de Botero, que ele usa em todas as mulheres de suas obras. O outro dado é muito mais triste, mas é importante para entender o artista: há muitos anos, ele perdeu um filho pequeno em um trágico acidente (em uma viagem o garoto pôs a cabeça para fora do carro e foi ‘decapitado’ por uma árvore à beira da estrada), algo que nunca superou. Em homenagem ao menino, faz uma referência à sua morte em todas as suas telas. Repare que sempre há uma gaveta aberta, uma fruta cortada ou algo fúnebre, lembrando a grande perda pela qual ele passou.